Siga por Email

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

O que diz o cronista Plínio Barreto

Leitura amena


Dois livros, ambos por demais interessantes, dignos de leituras atentas, porque muito bem escritos, estilos inteiramente diferentes, mas igualmente merecedores de aplausos.
Começo com Baticum, a mim endereçado por um sobrinho afim, que muito admiro. Havia muito estava em meu poder, mas um pequeno incômodo em uma vista impedia a leitura constante, sempre interrompida face à impossibilidade de prosseguir.
Finalmente, consegui chegar ao fim, satisfeito pelo que me foi dado a ler. Obra composta em "minion" e impressa pela Gráfica Tamoios, em papel pólen rustic Suzano, para o Museu Histórico Abílio Barreto, em julho de 2003. Sua autora, Sônia Lins, nascida em Belo Horizonte, no ano de 1919.
Por Linhas Tortas também é de autoria de mãos femininas, escrito por Cynthia França, bela criatura nascida em Belo Horizonte, em 1978. É uma história de amor e superação, a mim chegada com esta generosa dedicatória: "Ao estimado Plínio Barreto, as minhas linhas tortas. Um grande abraço, com carinho". Junto à assinatura, a observação: neta do Tião Porto.
São 321 páginas, tão bem escritas e de leitura tão fácil, que comecei a ler pela manhã e à noite já havia chegado ao fim, lamentando não ter mais o que ler.
E por falar em Tião Porto, avô de Cynthia, hoje residindo na cidade de Elói Mendes, dele recebi, no sábado, folheto ilustrado alusivo aos 100 anos da cidade, recheado com belas fotos de pontos turísticos. Pelo que pude observar, meu velho amigo Tião tem muita razão de ser tão orgulhoso de sua cidade natal.

(Estado de Minas - Sábado - 12 de novembro de 2011 - Crônica - Caderno Cultura - p. 2)